Quatro clubes de SP assinam ato de descentralização de recursos com a CBC

Este é o segundo evento do gênero organizado pela CBC. O primeiro foi feito em dezembro passado na sede do Clube de Regatas do Flamengo (RJ)

No dia 03 de março, os clubes Paineiras, do Morumby, Esperia, Athletico Paulistano e a Associação Desportiva Classista da Mercedes-Benz assinaram o Ato de Descentralização de Recursos com a Confederação Brasileira de Clubes (CBC), na sede do Clube Paineiras, em São Paulo. O presidente da CBC, Jair Pereira e o Ministro do Esporte, George Hilton, participaram da solenidade.
O presidente da CBC destacou a parceria com o Ministério. “A capacidade do Ministério do Esporte em perceber a importância dos clubes é fundamental. Em um futuro próximo, esse apoio para a formação e aperfeiçoamento dos atletas nos clubes confirmará na prática a sua importância. Talvez nas Olimpíadas de 2020 ou de 2024. Nossa equipe está altamente concentrada e faremos de tudo para que o objetivo do Ministério dê certo”, afirmou.
O Ministro do Esporte, George Hilton, parabenizou os clubes paulistas que assinaram o ato. “Quero aplaudir e parabenizar os quatro clubes por terem apresentado projetos consistentes para a formação das próximas gerações de atletas olímpicos”, declarou.
O presidente do Paineiras, Sérgio Henri Stauffenegger, prevê melhores condições para a formação de atletas no país. “Hoje é um dia especial para nós e para todos os clubes formadores de atletas. Nós temos consciência da nossa missão, levando os jovens ao esporte, afastando das drogas. Com essa nova fonte de recursos, ampliaremos nossas ações, teremos mais equipamentos e formação dos jovens, com toda a transparência”, explicou.
A transparência na aplicação dos recursos foi destacada pelo presidente do Paulistano, José Manuel Castro Santos. “É a primeira vez que recebemos recursos e faremos tudo certo, pois sabemos que a CBC é bem exigente na fiscalização dos recursos”.

Exigências

Os recursos deste convênio (Edital número 1de Chamamento Interno de Projetos da CBC) devem ser investidos, exclusivamente, na compra de equipamentos e materiais esportivos com o objetivo de formar atletas olímpicos.

Nova Lei Pelé

Em 2011, uma mudança na Lei Pelé, feita pela Lei 12.395/11, incluiu a CBC como beneficiária de 0,5% do total da arrecadação das loterias da Caixa Econômica Federal, ao lado do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e do Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB). O Governo Federal apoiou os clubes, tradicionalmente os grandes formadores de atletas no país, em sua reivindicação de receber parte da arrecadação das loterias. Para que fosse possível a inclusão da CBC nos repasses da Lei Agnelo / Piva, o Ministério do Esporte abriu mão da porcentagem de sua parte dos recursos provenientes das loterias.

Pin it